A Covid-19 pode influenciar no tema da redação?

Entenda como o atual cenário de Covid-19 pode mobilizar um tema de redação

30069
Postado: 22 de abril, 2020 - Atualizado: 23 de abril, 2020
Covid-19

É fato que, os temas das provas de redação do ENEM nunca são tão evidentes e recentes, mas também não são genéricos. Nesse sentido, o que podemos notar, é que em muitos anos, os temas foram relacionados a desdobramentos de algum episódio ocorrido, e é o que pode acontecer agora em 2020. Pensando nisso o QG elaborou uma matéria sobre possíveis desdobramentos da pandemia de Covid-19, que podem aparecer como tema da redação ENEM. Confira!  

Nos últimos meses, devido ao aumento do número de casos da Covid-19 ao redor do mundo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou que estamos vivendo uma pandemia. Isso fez com que diversos países mudassem seus hábitos e suas rotinas e passassem por um momento de isolamento social, fato que modificou fortemente as dinâmicas sociais, econômicas e políticas. Dessa forma, a situação em que estamos vivendo pode provocar diversos desdobramentos, seja no sistema de saúde, no sistema de educação ou no sistema econômico. Para entendemos melhor quais são esses efeitos, e como eles podem aparecer na redação do ENEM, entrevistamos o professor de Linguagens do QG, Diego Dias.   

Em primeiro plano, segundo o professor Diego, podemos dividir os desdobramentos e os possíveis temas em 4 grandes blocos: saúde, sociedade, educação e economia.   

SAÚDE 

No que se refere ao bloco sobre saúde, o professor levantou os 4 seguintes temas:  

Saúde pública: Com o avanço do Coronavírus (Covid-19) no país, ficou muito evidente os desafios que a saúde pública enfrenta. Isso porque o novo vírus atenuou os problemas que a população brasileira já enfrenta há anos e mostrou que a negligência em relação ao sistema de saúde pode se tornar uma bola de neve em meio à crise.  

Covid-19

Depressão entre idosos: A pandemia causada pelo Covid-19 obrigou diversos países a modificarem suas rotinas e implementarem um sistema de isolamento social. No entanto, o que podemos observar, segundo o professor Diego Dias, é que a falta de integração dos idosos na sociedade agora mostra seus efeitos. Isso porque a população senil está mais isolada ainda do resto da comunidade, sem receber visitas e sem poder sair de casa, fatores que podem servir como catalisador para quadros depressivos.  

Obesidade: De acordo com o professor, com a ascensão do home office nesse período de crise, muitas pessoas não souberam se adaptar a essa nova dinâmica de trabalho. Isso tem como efeito, a obesidade e o sobrepeso, ocasionados pelo descuido com o corpo e com a saúde,  que relaxamos com nossa alimentação e não praticamos exercícios físicos.  

Campanhas comunitárias: As campanhas comunitárias são de extrema importância no combate de doenças contagiosas, como sarampo, gripe e H1N1. No entanto, nem todos absorvemos essa prática e a levamos a sério, o que faz com que parte da população negligencie sua saúde e, em um momento de pandemia, não saiba como lidar nem como se prevenir.  

 

SOCIAL 

No que diz respeito ao âmbito social, Diego Dias trouxe dois grandes temas: 

Solidariedade e empatia em pauta na sociedade brasileira: desde o início da quarentena, podemos perceber que, em diversos momentos, o brasileiro não se mostrou solidário e empático com o próximo. Um exemplo disso foi a corrida por alimentos, máscaras e álcool em gel nos supermercados, que esvaziaram os estoques e deixaram diversas pessoas vulneráveis ao vírus.   

Fake news e ignorância: A propagação de notícias falsas já é algo recorrente há algum tempo dentro do meio digital. No entanto com o quadro de corona vírus no mundo, diversas notícias falsas sobre o vírus e possíveis curas têm sido disseminadas, bem como informações falsas que pregam ódio a determinados governos, culturas e países. 

 

EDUCAÇÃO  

Para o professor Diego, no âmbito educacional, o tema de talvez maior destaque seja relacionado aos desafios do ensino à distância no Brasil. Isso porque, uma das soluções encontradas para escolas e universidades não paralisarem suas atividades, foi a implementação do EAD. No entanto, essa questão nos fez perceber que a ausência de acesso à internet e a falta de preparo profissional são obstáculos que impossibilitam a formação socioemocional e cidadã dos estudantes, uma vez que o ensino à distância prioriza conhecimentos técnicos.  

 

ECONOMIA 

A economia de todo o mundo vem sofrendo um forte retrocesso desde o início da pandemia. No entanto, talvez a questão que mais se destaque no Brasil são as relações trabalhistas entre patrões e empregados, frente à crise econômica. Nesse sentido, diversos empregados ficam presos aos seus empregos neste momento delicado e vulneráveis a adoecerem. 

 

Por fim, o professor também ressaltou que o atual cenário de pandemia também pode ser mobilizado em diversos outros temas envolvendo minorias sociais como questões relacionadas à misoginia e ao indígena. Nesses casos, o atual cenário não apareceria como temática principal, mas poderia muito bem embasar argumentos com o decorrer do texto.

Continue acompanhando as dicas do Blog do QG, clicando aqui!